the portuguese prison photo project – uma exposição, diferentes perspetivas atrás das grades

9.9. – 3.12. 2017 Centro Português de Fotografia CPF, Porto.

41

Dia até o final da exposição

the portuguese prison photo ­project proporciona uma visão das prisões contemporâneas portuguesas. Da maior e mais antiga prisão, que data da década de 1880, à mais recente, que abriu as portas em 2004, estes sete estabelecimentos prisionais representam aproximadamente um quarto de todos os locais de detenção do país.

Dois fotógrafos, um português e um suíço, captaram as fotografias em 2016 e 2017. As suas abordagens traduzem-se em duas perspetivas completamente diferentes, e são complementadas por imagens históricas provenientes dos arquivos estatais. Esta é uma das primeiras produções fotográficas em larga escala, centrada nas prisões nacionais. 

Esta exposição, histórica e contemporânea, decorre num antigo recinto penitenciário histórico que, atualmente, acolhe o Centro Português de Fotografia (CPF).

 

O Centro Português de Fotografia, instalado na antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, constitui-se como o local ideal para a realização desta exposição. Desde a primeira visita ao Centro e ao seu magnífico edifício, Daniel Fink, professor de História das Prisões na Universidade de Lausanne, desenvolveu a ideia da realização de uma exposição fotográfica sobre este tema a par de uma conferência internacional sobre prisões: história, cultura e fotografia. Juntamente com o Diretor do Centro, Dr. Bernardino Castro, e o Presidente da Associação Internacional de Criminologia de Língua Portuguesa e anterior Diretor da Escola de Criminologia da Universidade do Porto, Prof. Cândido da Agra, Daniel Fink iniciou as atividades para concretização desta iniciativa.

Agradecemos ao Diretor-Geral da DGRSP, Dr. Celso Manata, e a todos os seus colaboradores que contribuíram para a realização deste projeto.

Os fotógrafos

Luis Barbosa

Fotógrafo e formador no Instituto Português de Fotografia IPF Porto | nasceu 1975 no Porto, Portugal | www.luisbarbosaphotography.com

É especialista em documentação fotográfica de cariz social e cultural. O seu interesse pela fotografia começou no laboratório trabalhando a preto e branco, uma técnica que o fotógrafo ainda privilegia, embora também trabalhe com câmaras digitais. Luis Barbosa tem divulgado o seu trabalho em várias exposições fornecendo, também, uma visão da sua abordagem fotográfica no seu site da internet e no seu blog. Obteve a sua formação no IPF Porto, onde agora desempenha funções como formador de fotógrafos. Tendo sido convidado para participar neste projeto, Luis Barbosa demonstrou grande entusiasmo, procurando enfatizar nas suas fotografias a preto e branco a atmosfera e o ambiente das prisões visitadas.

«Uma vez que nunca tinha entrado numa prisão, fiquei bastante satisfeito por poder, ainda que brevemente, penetrar num mundo quase sempre oculto, estando, no entanto, consciente que esta participação acarretaria uma grande carga emocional.»

Luis Barbosa, fotógrafo

Peter M. Schulthess

Fotógrafo da SBF*, especializado em fotografia de arquitetura, particularmente prisões | nasceu em 1966 em Basel, na Suíça | www.prison.photography

A sua primeira experiência fotográfica em contexto prisional ocorreu, há 15 anos, na antiga penitenciária de Basel. Esta experiência levou ao desenvolvimento do seu interesse pela fotografia em estabelecimentos prisionais e correcionais. Desde então, este tornou-se o seu mais duradouro projeto, enquanto fotógrafo e autor. Depois das prisões na Suíça, Peter Schulthess visitou e fotografou estabelecimentos prisionais na Alemanha e agora em Portugal. 

Durante a sua visita às prisões portuguesas, Peter Schulthess foi acompanhado por Gilda Santos da Universidade do Porto.
* É membro da Swiss Professional Photographers e da Photo Designers SBF.

«Este projeto foi um passo para um mundo desconhecido, num país que eu nunca tinha visitado. Por isso me questionei: o que é que eu vou ver? O que poderei fotografar? O que vou poder mostrar?»

Peter M. Schulthess, fotógrafo

Fotografias Antigas

Selecionadas pela Prof. Maria José Moutinho Santos, especialista em história das prisões | CITCEM – University of Porto

As fotografias apresentadas, realizadas entre 1876 e 1974, escolhidas num universo de muitas centenas pertencentes aos acervos de diversos arquivos públicos, são um apontamento intencional de contraponto às imagens contemporâneas. Se estas refletem dois olhares e duas circunstâncias – as de Peter Schulthess e Luis Barbosa – as fotos antigas foram a consequência de outros olhares, em contextos políticos, penais e prisionais muito diversos.

«Essa diversidade de conteúdos, objetivos e contextos das imagens - de uma inesperada riqueza documental - tornou a minha contribuição neste projeto uma notável experiência pessoal»

Maria José Moutinho Santos, Universidade do Porto

A exposição

De 9 de setembro a 3 de dezembro

A exposição irá decorrer no Centro Português de Fotografia (CPF), alojado no antigo edifício do Cadeia e Tribunal da Relação do Porto

O CPF tem como missão: i) assegurar a conservação, valorização e proteção legal do património arquivístico e fotográfico; ii) efetuar o tratamento técnico arquivístico iii) promover o acesso à informação arquivística e fotográfica, nomeadamente através de exposições.

Localizado no centro da cidade do Porto, o edifício do CPF tem vindo a ser remodelado para corresponder a todas as necessidades inerentes às suas atuais funções permanecendo, no entanto, como uma magnífica testemunha do antigo edifício prisional.

Raumplan der Ausstellung the portuguese prison photo project

1 – Introdução:  Luis Barbosa & Peter Schulthess
2 – As Luzes + Sombras:  Luis Barbosa
3 – Os pormenores:  Peter Schulthess
4 – O Passado:  Imagens de arquivo

Visita guiada

a) Visita guiada pela exposição com os dois fotógrafos

Calendarização: Sabado 9 de Setembro, 14 de Outubro e 2 de Dezembro 15h resp 16.30h

Luis Barbosa começa a sua visita, em português, às 15h. Seguidamente, às 16.30, Peter Schulthess realizará uma visita em alemão (e inglês). Cada visita durará cerca de uma hora e abordará perspectivas pessoais dos fotógrafos. Ambos estarão presentes em cada visita guiada.
A exposição abrirá às 15h, a entrada e as visitas são gratuitas.

Lugar

Horário

setembro a outubro
Ter – Sex: 10.00 – 18.00
Sab/Dom/Feriados: 15.00 – 19.00

novembro e dezembro
Ter – Sex: 10.00 – 12.30 | 14.00 – 17.00
Sab/Dom/Feriados: 15.00 – 19.00

Entrada

A entrada é livre

Flyer da exposição em formato PDF para fazer download, imprimir e divulgar